Manifestantes voltam a cobrar solução do caso da menina Beatriz Angélica em Petrolina, PE

Os pais e amigos da menina Beatriz Angélica Mota, assassinada no dia 10 de dezembro de 2015, fizeram mais uma manifestação em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Nesta quinta-feira (10), data em que o crime completa um ano e oito meses, eles se reuniram em frente a sede do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Com cartazes, o grupo voltou a cobrar uma solução para o caso, que chamou a atenção do Brasil. A menina, de sete anos, foi morta a facadas durante uma festa de formatura em uma escola particular da cidade.

“Promessas e só mais promessas. O estado de Pernambuco diz que o caso de Beatriz é o número um. Cadê os investimentos, cadê a delegada que não está em Petrolina, cadê sua equipe? Nós não estamos vendo resultados. Queremos justiça”, cobrou a mãe de Beatriz, Lucia Mota.

A manifestação desta quinta-feira recebeu o nome de “Muralha de Oração” e foi organizada pelo pai de Beatriz, o professor Sandro Romildo. “A nossa família está destruída, está arrasada. Então, o momento de oração é um momento de reflexão. A intenção é pedir a Deus que ouça nossas orações, que toque nessas autoridades policias, no governo do estado para dar mais investimentos”, afirma Sandro. Com informações do G1.

Deixe um comentário